INTERSECÇÕES ENTRE AGENDA 2030 PARA DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E AGENDA ESG (ENVIROMENTAL, SOCIAL AND GOVERNANCE): IMPLICAÇÕES NA INDÚSTRIA TÊXTIL E O CASO DA C&A

Autores

  • Carolina Xavier Falcão Centro Universitário Belas Artes de São Paulo
  • Tatiana de Souza Leite Garcia Universidade de São Paulo

Palavras-chave:

Agenda 2030, ESG, Indicadores de sustentabilidade, Indústria Têxtil, C&A

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar as intersecções entre a Agenda 2030 para Desenvolvimento Sustentável, criada no âmbito da Organização das Nações Unidas, e a Agenda ESG (em inglês Enviromental, Social and Governance), que se refere as práticas de responsabilidades ambientais, sociais e de governança corporativas, e verificar as possíveis implicações na indústria têxtil, tendo como estudo de caso a empresa de moda varejo C&A. Para o desenvolvimento desse artigo empregou-se como método a pesquisa qualitativa, descritiva e o estudo de caso, e as técnicas empregadas foram o levantamento e a revisão bibliográfica sobre os conceitos relacionados às Agendas 2030, ESG e responsabilidade ambiental corporativa, e para o estudo de caso foi analisado o relatório de sustentabilidade da C&A, publicado em 2021. A revisão bibliográfica evidenciou que essas Agendas são complementares e a implementação de práticas ESG na indústria têxtil pode contribuir para o alcance parcial de alguns Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030, como a redução de emissões de gases de efeito estufa, a conservação de recursos naturais e a promoção de condições de trabalho justas e seguras. A análise do relatório da empresa C&A mostrou seu avanço em práticas de sustentabilidade, embora haja espaço para melhorias, notadamente gestão de resíduos no pós-consumo e redução da pegada de carbono. Além disso, o estudo destaca a importância da comunicação transparente e eficaz da prática ESG para garantir a confiança dos stakeholders e contribuir para a construção de uma cultura de sustentabilidade na indústria têxtil.

Biografia do Autor

Carolina Xavier Falcão, Centro Universitário Belas Artes de São Paulo

Bacharela em Relações Públicas formada pela Universidade Federal do Amazonas e Especialista em Relações Internacionais pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Possui mais de 5 anos de experiência em Assessoria de Comunicação, Mídias Digitais, Produção de Eventos e Tradução. Atualmente cursando MBA em ESG pelo IPOG - Instituto de Pós-graduação e Graduação.

Tatiana de Souza Leite Garcia, Universidade de São Paulo

Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana da Universidade de São Paulo. Pesquisadora de Pós-Doutorado no Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo

Referências

ATKINS, B. ESG: Environmental, Social, Greenwashing? Disponível em: <https://www.forbes.com/sites/betsyatkins/2022/01/17/esg-environmental-social- greenwashing/?sh=2d9983a44e31>. Acesso em: 31 ago. 2022.

AWS AMAZON. O que é a tecnologia blockchain? – Explicação sobre a tecnologia blockchain. Disponível em: <https://aws.amazon.com/pt/what- is/blockchain/>. Acesso em: 29 jan. 2023.

BOGO, J. M.; SERAFIM, M. C. RSE: DE FRIEDMAN À COPRODUÇÃO. Aldeia. Vol.9. No01. Pág. 28-29. 2010.

C&A. Relatório Anual de Sustentabilidade 2021. Disponível em: <https://sustentabilidade.cea.com.br/pt- br/Documents/C%26A_RA_2021_Port_11.pdf>. Acesso em: 24 jan. 2023.

CLEMENTE JR, S. S. Estudo de Caso x Casos para Estudo: esclarecimentos acerca de suas características. Anais do VII Seminário de Pesquisa em Turismo do Mercosul, Caxias do Sul – RS, 2012.

COUTINHO, L. M.; O Pacto Global da ONU e o Desenvolvimento Sustentável In: R. BNDES; v. 56, p. 501–518, 2021.

CRUZ, A. Introdução ao ESG: meio ambiente, social e governança corporativa. São Paulo: Scortecci. 2022.

DE CARVALHO, F. T. A agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável Da ONU e seus atores: O Impacto do desenvolvimento sustentável nas Relações Internacionais. | Confluências | Revista Interdisciplinar de Sociologia e Direito. periodicos.uff.br, 6 fev. 2020.

FONTANA, D. A importância da Agenda ESG: uma revolução que veio para ficar no mundo dos negócios. Disponível em: <https://www.linkedin.com/pulse/import%C3%A2ncia-da-agenda-esg-uma- revolu%C3%A7%C3%A3o-que-veio-para-daniela-fontana/?trk=pulse- article&originalSubdomain=pt>. Acesso em: 17 ago. 2022.

GARCIA, T. S. L; ZACARELI, M. A. Meio Ambiente e Relações Internacionais. In: GALLO, R. (org.). Relações Internacionais: Temas Contemporâneos. Boa Vista: Editora IOLE, 2021, p.179 a 186.

JORNAL DA UNICAMP. Principais desastres ambientais no Brasil e no mundo. 01 de dezembro de 2017. Disponível em: <https://www.unicamp.br/unicamp/ju/noticias/2017/12/01/principais-desastres- ambientais-no-brasil-e-no-mundo > Acesso em 09. Jan. 2021.

LAGO, A. A. C. do. Conferências de Desenvolvimento Sustentável. Brasília: Instituto Rio Branco/ Fundação Alexandre de Gusmão, 2013

LOPES, R. S. Benefícios e Vantagens da Agenda ESG para com o Comércio Internacional. Disponível em: <https://portogente.com.br/noticias/comercio/114815- beneficios-e-vantagens-da-agenda-esg-para-com-o-comercio-internacional>. Acesso em: 17 ago. 2022.

MAFRA CALDERAN, A.; PETRILLI, L.; KIMURA KODAMA, T.; MONTEIRO DE SOUZA, J. F. ESG: uma análise inicial sobre a natureza do conceito e a sua difusão. Encontro Internacional de Gestão, Desenvolvimento e Inovação (EIGEDIN), v. 5, n. 1, 29 set. 2021.

ODM BRASIL. Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Disponível em: http://www.odmbrasil.gov.br/os-objetivos-de-desenvolvimento-do-milenio Acesso em 15 jan. 2023.

ONU BRASIL. Estratégias ODS. Disponível em: < https://brasil.un.org/pt-br/sdgs> . Acesso em 15 jan. 2023.

PACTO GLOBAL REDE BRASIL. Disponível em: <https://pactoglobal.org.br/>. Acesso em 15 jan. 2023.

PAÚL, F. “Lixo do mundo”: o gigantesco cemitério de roupa usada no deserto do Atacama. BBC News Brasil, 27 de janeiro de 2022. Disponível em: < https://www.bbc.com/portuguese/internacional-60144656> Acesso em: 26 jan. 2023.

RODRIGUES, H. ESG e ODS não são sinônimos, são caminhos conectados. Disponível em: <https://forbes.com.br/forbes-collab/2021/04/haroldo-rodrigues-esg-e- ods-nao-sao-sinonimos-sao-caminhos-conectados/>. Acesso em: 18 jan. 2023.

ROMA, J. C. Indicadores de sustentabilidade – Artigos: Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e sua transição para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. 2019.

TELESUL. O que é ser Omnichannel? Disponível em: <https://telesul.com.br/ser- omnichannel/>. Acesso em: 29 jan. 2023.

VIANA, F.; JÚNIOR, C. A importância da governança em momentos de crise, um teste do G do ESG na vida real – XXVI Seminários em Administração. FGV EAESP. 2021.

VIOLA, E.; BASSO, L. O sistema internacional no antropoceno. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 31, n. 92, 29 ago. 2016.

VOLTOLINI, R.. Vamos Falar de ESG? Provocações de um pioneiro em sustentabilidade empresarial. Editora Voo. 2021

ZAMCOPÉ, F. Construção de um modelo para avaliação da sustentabilidade corporativa – Um estudo de caso na indústria têxtil. UFSC. Florianópolis. 2009.

ZHENG, L. Your Rainbow Logo Doesn’t Make You an Ally. Disponível em: <https://hbr.org/2021/06/your-rainbow-logo-doesnt-make-you-an-ally>.Acesso em 18 jan. 2023.

Downloads

Publicado

04-06-2024

Como Citar

Falcão C. X., & Garcia, T. de S. L. (2024). INTERSECÇÕES ENTRE AGENDA 2030 PARA DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E AGENDA ESG (ENVIROMENTAL, SOCIAL AND GOVERNANCE): IMPLICAÇÕES NA INDÚSTRIA TÊXTIL E O CASO DA C&A. Revista Data Venia, 16(2), 84–107. Recuperado de https://revistas.belasartes.br/datavenia/article/view/439